My friends and the ever-changing lucidity of the world

or The history of the modern world

Era uma vez um carroussel que crescia como um sonho virado para o viaduto da vida. Perdia os seus momentos contemplando os entretantos que faziam da sua vida uma pequena maravilha. A coisa maior que guardava era um segredo, o qual não podia explicar a ninguém, mas, pior ainda, não podia perceber.

AbC

O que era, afinal, o segredo? Era simplesmente uma lágrima que se guardava dentro de si próprio (tinha feito dentro do seu corpo a sua casa, como diria o grande poeta Vinicius de Moraes em Para Viver o Grande Amor). Não havia muito mais que o poeta wanna-be, que se fazia de repente um ente sólido entre este mundo e o próximo numa batalha que prometia nunca mais terminar mas, como com todas as demais coisas impossíveis, tinha para o seu fim um espaço e tempo reservado naquela mente imaginária das crianças, que juntando as mais belas cores da vida e do mundo, conseguia reservar um quarto de hotel no fim do mundo, para outro melhor começar.

E, com isto, o fim do mundo acontecia (existia?), ou não? Pois claro que sim. Tudo tinha o seu tempo, mesmo ainda que não existisse nunca, senão nas ideias das crianças. O que são afinal, as crianças? São as mentes lavadas de preconceitos e que conseguem, com olhos de ver, sentir, ver e ter tudo o que querem ao seu alcance, incluindo, inclusivé, toda a sabedoria do mundo.

É óbvio que toda a sabedoria, por vezes, é um caminho complexo e complicado de percorrer. Mas a verdade é que o caminho existe sempre e está sempre aí à espera que as complicações dos pobres homens desvaneçam. E quem sabe, sabe. Quem não sabe, aprende.

Quem já há muitos anos sabe, não tem de ensinar, nem aprender. Ao menos sabe. A sabedoria testada pelo tempo é a mais perduradora, obviamente. A mais testada, clinicamente. A mais fiável. Como o diamante erosado pelas sandálias inexplicáveis do tempo.

As palavras, essas, encaixam-se, enquanto poderem existir no espaço-tempo. Porque há uma linha, como um carroussel (ou um rio?) que se espalha pela emoção fora.

Corre, corre tempo, porque tu, tudo sabes.... E o poeta, o Eugénio de Andrade, continuará sempre conosco. A prova é o tempo. E a razão? Porque ele soube escrever.Casa no Campo - Um desenho

 

Endereço electrónico: zefuture@gmail.com.

Calori....

JOSÉ MARIA ROCHA ABECASIS

  • José Maria Rocha Abecasis nasceu em Lisboa a 13 de Fevereiro de 1980.
  • Veio para Macau com a sua família em Agosto de 1987. Já lá vão quase 18 anos (embora alguns destes anos tenham sido desfrutados na alegre e amistosa companhia do seu País, Portugal).
 

 

 

index